quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Pela estabilidade política

Mesmo apesar dos “casos” BPN e BPP, em que o actual Presidente da República não esteve nada bem, Cavaco Silva ainda assim arrasa a concorrência, com Alegre a ser uma desilusão, o PS que o apoia a confirmar a curva descendente no que toca à sua base de apoio para ocupar o poder e Fernando Nobre a erigir-se como uma democraticamente saudável surpresa.

Sem surpresas, o povo português reelegerá, no próximo Domingo, a uma só volta, um Presidente da República que se apresentou como um garante de um rumo certo a servir, ainda que apesar da sua cooperação estratégica, de contrapeso aos desvarios dos governos de José Sócrates.

A estabilidade política é mesmo um valor sério em alturas de séria conturbação nacional e de preparação de um novo e decisivo rumo para o país.

2 comentários:

J.Belo disse...

Com as honestidades, institucionais e pessoais,colocadas a níveis terceiro mundistas,sem dúvida que o Sr.Presidente da República actual(apesar de...) acaba por "arrasar a concorrência". Quanto à preparacao de um novo e decisivo rumo para o país com uma alternäncia de forcas políticas que no fundo representam (+/-) os mesmos interesses,invejo-o nesses optimismos de princípio de ano. Creio que foi Eca de Queiroz quem escreveu a propósito de "exigrados" como eu (vivendo há mais de 35 anos no extremo norte da escandinavia):"Os que olham o seu país com os telescópios da alma". Um grande abraco desde os 29 graus negativos de hoje.

Miguel Portugal disse...

Ser-se optimista é mais ou menos como ser-se pessimista - acredita-se haver boas razões para uma como outra das atitudes. O meu optimismo não é, contudo, de início de ano. É mesmo por convicção. Acredito que, com esforço e empenho, poderá fazer-se sempre um pouco melhor. No caso da situação política nacional actual, só mesmo se os novos líderes continuarem a deixar-se manietar por toda essa corja de interesseiros que gravitam em volta dos partidos de poder, quais abutres petrificados pelo locupeteamento. (Mas pior, também será impossível.)
Ainda assim, optimismo, como água para a sede... exactamente, aliás, como o pessimismo! A alma e as suas paixões são assim mesmo!

Abraço (com 2 ou 3 graus - até nisso somos pequenos!)