quarta-feira, 5 de novembro de 2008

À espera de Obama

Barack Obama -- o 44.º Presidente dos Estados Unidos da América (resultados: Presidência, Senado e Câmara dos Representantes) -- prometeu uma mudança na política, tanto interna como externa, de uma das maiores e mais importantes democracias do mundo: ao nível da economia (o seu grande trunfo eleitoral), da fiscalidade, do sistema de segurança social pública (inexistente nos E.U.A.), da política externa. Mesmo que não venha a tornar-se um daqueles políticos visionários, tão raros quão vitais, já conseguiu, pelo menos, imprimir na sociedade americana um espírito, simultaneamente, (1.) de participação e envolvimento na política e (2.) de algum optimismo e mudança em tempo de profunda e séria crise económica e financeira interna e mundial. (Assim conseguissem outros líderes políticos na Europa e no mundo!) Conseguiu convencer a maioria dos americanos de que poderia ter melhores soluções para os problemas gravíssimos da américa e do mundo. A política é isso mesmo: convencer os outros de que temos as melhores soluções para a organização política da sociedade.

Resta agora aguardar -- decerto, ainda algum tempo -- pelos contornos, agora mais prosaicos, dessa mudança anunciada, embora tal mudança não deva ser assim tão grande, pelo menos não tanto quanto o entusiasmo da esquerda europeia esperaria. Ainda bem para todos que Obama vai governar ao centro!

9 comentários:

Rui Ramos disse...

Concordo que há que ter certas reservas em relação ao Mr. Obama, nao que este aparente ser cínico ou falso mas sim por segurança! Penso que há um grande facto a salientar. Desde pequenino que ouço dizer aos adultos que temos de ser boas pessoas e bons estudantes pois vamos ser o futuro do mundo. Ora, nos USA, os eleitores do Mr. Obama foram os considerados eleitores novos com idades compreendidas entres os 18 e os 39 anos, salvo erro. Acho que isto é um peso acrescido nas costas do Senhor Obama! Acho o 44º presidente dos "states" uma pessoa extremamente inteligente, de ideias concretas e bem elaboradas e que foi espectacular ao escolher a sua equipa, pelo contrario, o Sr. McCain nao fez grande trabalho na elaboraçao da sua equipa! Se Obama for bom presidente acho que o panorama mundial pode melhorar, e desde já era bom que nas legislativas portuguesas que se avizinham, os pseudo-políticos portugueses, salvo raras excepções, consigam ser tão convictos como o Mr. Obama! Abraço

Miguel Portugal disse...

Gostamos sempre de "importar" hábitos e costumes. De facto, caro Rui, na política isso seria, sobretudo a propósito do glamour político de Obama, muito útil no momento crítico da nossa vida política nacional!
Abraço!

MCF disse...

Discursos bonitos todos conseguimos fazer... ehehe..

Mas estou confiante e aguardo com entusiasmo as suas medidas e o impacto que vão ter no mundo... a mim parece-me um político inteligente e mais aberto ao dialogo que á guerra (nem parece americano)!!!

Miguel Portugal disse...

"Nem parece americano", mcf. Será por ser AFRO-americano?! No entanto, como dizia Clausewitz, um dos maiores teóricos da guerra, "a guerra é simplesmente a continuação da política por outros meios" e Barack Obama terá, necessariamente, que reordenar mais algumas pequenas guerras contra o terrorismo... e nisto ele será, inevitavelmente, um político americano – com poder bélico suficiente para enfrentar as ameaças terroristas à paz mundial e às concepções de mundo em que o Ocidente acredita, fundadamente! Espera-se apenas que o faça de modo menos cruel e odioso que o seu antecessor na Casa Branca e contribua, assim, para repor as condições do diálogo intercultural tão necessário à resolução dos grandes problemas mundiais.

MCF disse...

Claro, creio que a grande diferença está na forma como Obama quer combater os problemas e como Bush combatia... Obama quer combater de uma forma menos genocida que Bush!

Muitas pessoas pensam que Obama vai mudar mundo... mas até que ponto? Acho que muita gente tem uma noção errada da ''mudança de Obama''... Daqui a uns tempos vai ser fortemente criticado por pessoas que o apoiam nesta alura...

e agora, se houvesse outro 11 de Setembro, assumindo neste caso que os ataques foram realmente organizados pela Al Qaeda, como responderia Obama???
Sinceramente nao consigo encontrar uma resposta!

Anónimo disse...

Mr. Obama, um futuro Presidente com carisma, poderá, eventualmente, "refrescar" não apenas o "fazer política" em terras do Tio Sam, mas ainda surpreender os pensadores do velhinho continente europeu.
Porém, algo me inquieta. Obama não estará sozinho. Obama não poderá governar isolado ou somente encostado aos democratas. Será preciso "negociar" com "Deus e o Diabo" no império de um "Sol de Inverno"... Ao ter que negociar será imprescindível ceder para dar passos. E é aqui que me ponho a pensar na experiência que o passado nos oferece e, sem que o deseje, a inquietação cresce de forma mais assustadora.
Preciso explicar e sublinhar que é inquietação, não o medo!
Ainda assim um voto de confiança. Quem sabe se o panorama mundial não vai mesmo melhorar!
Há, no entanto, uma questão que permanece: melhorar como?
Aguardo resposta à minha inquietação. Se alguém tiver tempo, como é evidente!
Um abraço de solidariedade para todos.
Em Nome de Mim

Rui Ramos disse...

Sr. "anónimo" acho q realizou uma bela reflexão! Melhorar como?? Bem, se eu soubesse, certamente já teria partilhado o saber! Acho q para o mundo melhorar as pessoas têm q melhorar do ponto de vista psicologico e da acção! É necessario um esforço geral! Acho que o Mr. Obama nao vai ser o messias que ao revolucionar os States vai salvar o mundo, nada disso! Como disse você, e muito bem dito, para ele chegar onde chegou. além de todo o mérito pessoal, é preciso haver forças por tras! E o que move a política é o dinheiro! E tambem confesso que esta situação me inquieta! Acho que a soução, e nao há outra, é aguardar!!! Salientando que Mr. Obama têm o apoio da classe jovem como já referi no meu comentario. Com isto pretendo dizer, que se as politicas de Obama resultarem, o futuro pode ser muito mais risonho para os da minha geração! Abraço

MCF disse...

Claro que o Obama nao vai conseguir limpar toda a merda do país... nao o deixariam!!!

Pois sao alguns desses aspectos negativos (corrupçao, tortura, violaçao dos direitos humanos, etc..) que fazem dos States a maior potência mundial... Se tentasse fazer isso depressa era assassinado, nao tenho duvidas.

Edgar disse...

Ha quem diga que vai ser assassinado na mesma, afinal de contas, ha 60 anos atras nos States os negros praticamente nao tinham direitos e o odio racial não é coisa do passado.
Agora no que toca aos fundos do Obama, se nao estou em erro ele mobilizou a maior campanha de sempre de angariaçao de fundos para uma campanha eleitoral, com pessoas a pedir de porta a porta, sites de internet e por ai fora.
E quanto a guerra, perdoem-me a expressao mas lutar pela paz atraves da guerra é a mesma coisa que ter sexo para ser virgem! E sinceramente no que toca ao Iraque pouco ha que fazer, já que começaram, têm que acabar, nao podem simplesmente sair do pais no estado em que esta, para dar origem a uma guerra civil e ate criar um ditador pior que o Saddam. Penso que o que o Obama vai fazer e a retirada gradual das tropas com injeçao de mil milhoes de dolares para ajudar na reconstruçao do Pais.
Portanto acho que nao so os Estados Unidos mas tambem o mundo esta melhor com o Obama do que com o McCain, ate porque mais cedo ou mais tarde dava o badagaio ao McCain e tinhamos a fundamentalista Sarah Palin a dominar a maior potencia do mundo, o que seria desastroso!