sábado, 17 de janeiro de 2009

Literatura fantástica e perda de referências literárias

A literatura do fantástico tem aumentado as suas edições a nível mundial. As editoras têm apostado em fortes campanhas de lançamento, com o Partenon ou a Catedral do Sacré Coeur como pano de fundo de lançamento de novos títulos. Também as muralhas do Castelo de São Jorge serviram recentemente de palco ao lançamento da tradução de “Brisingr”, do jovem autor Christopher Paolini. Portugal não fica, pois, atrás deste movimento comercial, que tem permitido a muitas editoras uma sobrevivência económica atractiva, mesmo que, todavia, nem todos os bons títulos deste género literário estejam ainda disponíveis em português.
.
Séries de sucesso como “O Senhor dos Anéis”, de Tolkien, e “Harry Potter”, de J. K. Rowling, deram o mote para que tivesse florescido um género literário, que de menor consideração, se elevou ao sucesso comercial, contando hoje com um amplo mercado mundial e nacional. (Não é despicienda a projecção de algumas obras no grande ecrán!). O público-alvo é, sem dúvida, a camada jovem, que vai devorando títulos, sem que muitos tenham, contudo, a possibilidade de detectar, em grande parte dessas obras, quase-plágios, tornando-as obras derivativas, mas que, por muito iletradas que sejam, com imitações claras dos mais conhecidos tropos do género, vão deliciando a juventude.
.
Apesar de género literário com obras de proa bastante respeitáveis, a sua proliferação comercialmente abrangente traz alguns problemas. Antes de mais, inundou o mercado, das livrarias aos hipermercados, levando à extinção das principais colecções de “ficção científica” das principais editoras portuguesas. Não é, pois, nada fácil encontrar hoje os grandes autores canónicos, como Philip K. Dick, Robert A. Heinlein, Stanislaw Lem, Robert Silverberg ou mesmo Asimov.
.
Depois, açambarcou o tempo de leitura dos mais jovens. Diríamos: por que não?! Afinal, os mais jovens lêem pouco, em geral e particularmente em Portugal, e a leitura deve ser uma actividade livre. Com certeza. Mas estes jovens, apesar de estarem a ler mais, não estão a ler o melhor. Corremos o risco das novas gerações de leitores crescerem num castrante vazio de referências literárias.
.
E o que é isto de referências literárias? São as melhores obras de arte literária que jamais alguém conseguiu escrever, desde os clássicos gregos à actualidade, na sua magnânima intemporalidade. São incontornáveis – apenas no género da ficção científica ou da literatura fantástica – H. G. Wells (“Guerra dos Mundos”, de 1898, problemática da existência de extraterrestres e conflito com os terráquios, obra recentemente honrada com um filme), Aldous Huxley (“Admirável Mundo Novo”, de 1932, problemática, actualíssima, do controlo do comportamento humano através de manipulação genética), George Orwell (“1984”, de 1949, problemática do controlo político do indivíduo pelo Big Brother Estado) ou mesmo Humberto Eco (sobretudo, no fascinantemente hermético “O Pêndulo de Foucault”, de 1988, sapiencial incursão no ocultismo das sociedades secretas medievais).
.
Por que é importante ler estas obras de proa? O tempo disponível para ler não é infinito – não se pode ler tudo! Por isso, seria muito mais proveitoso, sobretudo para o neófito, que lhe fosse proporcionada leitura (pelo menos, também) dos autores que melhor dominam a linguagem escrita ou determinada língua em particular, que mais criativos são na forma como escrevem, na forma como nos transmitem sentimentos, emoções, ideias, na forma como nos transportam para novos mundos possíveis, que mais corajosos, informados e inteligentes são na forma como abordam os temas-problemas mais fundamentais, que entretecem a nossa existência, e, no fundo, pela mestria com que nos permitem o acesso à compreensão do mundo e de nós mesmos.
.
Assim, na questão da literacia da leitura em geral, urge uma política educativa séria, corajosa e libertadora, que fugisse à tentação populista da novela fácil ou do perigo, eminente, do pragmatismo instrumentalizador da língua, que pode transformar a sua aprendizagem simplesmente num empobrecedor aprender a ler um contrato ou a escrever uma mensagem de correio electrónico! “Planos de leitura” sim (uma das poucas boas medidas educativas deste governo); mas com graus de evolução para patamares mais elevados, com estimuladoras consequências para a avaliação dos alunos e com concertada participação e envolvimento de todos (pais, professores e sociedade civil).
.
(In: Terra Quente, 15-01-2009)

3 comentários:

base de datos disse...

Hola , como etas, queria felicitarte, pues tu pagina es excelente , me encantan los contenidos , digno de su publicacion ,si queres , entra en mi sitio , y dejame un comentario , y si te interesa , hacemos intrcambio de links , banners , cualquier cosa , avisame , te dejo mi email tvinternet08@gmail.com , te mando un abrazo .




El equipo de Marketing Mega Virtual

Lustato Tenterrara disse...

Oi, Miguel...

Um bom domingo pra vc.

Interessante o seu blog e a linha editorial.

Artigos excelentes, e pertinentes.

Gostaria de convidar vc para fazer parte da minha Rede de Relacionamentos

Rede Brasil Poesias Rede de Música, Prosa, Verso,Poemas e Relacionamentos
é tipo assim um mini orkut ou myspace, mas com muitos mais recursos, melhor, mais bonita e voltada para a Arte & Cultura.

http://brasilpoesias.ning.com

Brasil Poesias Rede de Música, Prosa, Verso,
Poemas e Relacionamentos


Uma rede de relacionamentos com veia poética,
com muita Arte & Cultura.

É uma rede de relacionamentos
(perfis, comunidades, scrapbooks, etc)

Faça um perfil,
receba um lindo blog integrado
e players para publicar
músicas, foto-poemas,
fotos e vídeos. Todos os players possuem
gerador de códigos HTML EMBED CODE,
no estilo dos códigos utilizados no YouTube,
o que permite a disseminação das obras,
pelos próprios leitores, internautas, usuários.

Dê esse presente aos seus textos e a vc também.

Visite também o Blog Oficial
da nossa Rede Brasil Poesia.
http://brasilpoesias.blogspot.com
Você também pode estar por lá, se desejar.
Blog Oficial da Rede Brasil Poesias

Aguardamos você por lá.

Ah! Lá no menu tem um link de retorno aqui para o Recanto.

Um abraço.
Lustato Tenterrara
http://brasilpoesias.ning.com

Brasil Poesias Rede de Música, Prosa, Verso,
Poemas e Relacionamentos

http://brasilpoesias.ning.com/

Se preferir, digite: brasil poesias, no buscador do Google, que a 1.ª página do Google te leva até lá

Abraço.

Lustato

materials disse...

city5688
den777
dark775
room522
door444